“ENTRE RAIOS DE FOGO E GIROS DE SOL”: VIDENTES DE APARIÇÕES MARIANAS E OS ESCRITOS DE MENSAGENS ANTICOMUNISTAS (BRASIL E PORTUGAL)

Contenido principal del artículo

Resumen

As aparições marianas constituem um dos principais fenômenos do catolicismo. Trata-se de uma crença que perpassou os diferentes momentos do cristianismo e marcou a proliferação de registros escritos que legitimavam a formação de santuários, nos quais são elucidadas as memórias dos videntes, dos milagres da aparição e o teor das mensagens marianas. Este artigo tem como foco os registros mnemônicos sobre as mensagens marianas, ocorridas nos quatro primeiros decênios do século XX no Brasil e em Portugal. Desse modo, por meio dos inquéritos eclesiásticos e da escrita epistolar, elucidamos o teor anticomunista presente nas memórias acerca das aparições marianas de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal (1917), Nossa Senhora das Lágrimas de Sangue, em Campinas, Brasil (1930) e Nossa Senhora das Graças de Cimbres, Pernambuco, Brasil (1936). Com isso, enfatizaremos a trajetória das videntes (Lúcia, Amália e Adélia), que passaram a atuar em diferentes congregações religiosas e a propagação das ideias anticomunistas ao longo da primeira metade do século XX, principalmente, ao longo da década de 30, na qual Brasil e Portugal estavam sob a vigência dos respectivos governos denominados de “Estado Novo”. Neste sentido, torna-se possível compreender a constituição de uma cultura política devocional atrelada ao combate à expansão comunista e ao fortalecimento da União Soviética, na qual a formação dos novos santuários marianos passava a expressar o elemento de resistência.


Detalles del artículo




Magno Francisco Santos
Biografía del autor/a

Magno Francisco Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Brasil.

Santos, M. F. (2017). “ENTRE RAIOS DE FOGO E GIROS DE SOL”: VIDENTES DE APARIÇÕES MARIANAS E OS ESCRITOS DE MENSAGENS ANTICOMUNISTAS (BRASIL E PORTUGAL). Revista Cultura Y Religión, 11(2), 150-171. Recuperado a partir de https://revistaculturayreligion.cl/index.php/revistaculturayreligion/article/view/791

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Abreu, A. F. (2013). Introdução. In: Documentação Crítica de Fátima: seleção de documentos (1917-1930). Fátima: Santuário.

Aguiar Neto, M. R. B. (2016). Maria, Mariana na Serra do Ororubá – PE (1936-2016). Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Ciências da Religião. Recife: Universidade Católica de Pernambuco.

Chiron, Y. (1995). Enquête sur les apparitions de la Vierge. Paris: Perrin / Mame.
Coelho, H. (2017). Povo xukuru do Ororubá: conflitos fundiários e nova administração no território indígena em Pesqueira e Poções/PE. Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do grau de bacharel em Arquitetura. Recife: Faculdade Damas da Instrução Cristã.

Correio Popular (1929). Em Campinas. Correio Popular. p. 1.

Gomes, Â. (1998). A cultura histórica do Estado Novo. Projeto História. N. 16, pp. 121-141.

Kondor, L. (2007). Introdução às memórias da Irmã Lúcia. Memórias da Irmã Lúcia I. Fátima, Portugal: Secretariado dos Pastorinhos.

Leal, E. (2010). República portuguesa: secularização e novos símbolos (1910-1926). Revista da Faculdade de Letras. 3 (11), pp. 121-134.

Lira, A. (2014). O Diário do Silêncio. Rio de Janeiro: Nova Terra.

Lombaerde, M. (1940). O Fim do Mundo está próximo! Profecias antigas e recentes. 2ª ed. Rio de Janeiro: Boa Imprensa.

Neves, R. (2005). Dramas e performance: o processo de reelaboração étnica Xukuru nos rituais, festas e conflitos. Tese para obtenção do grau de doutora em Antropologia. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina.

Neves, R. (1999). Festas e mitos: identidades na Vila de Cimbres-PE. Dissertação para obtenção do grau de mestre em Antropologia. Recife: Universidade Federal de Pernambuco.

Pio XI (1937). Carta Encíclica Divinis Redemptoris: De Sua Santidade Papa Pio XI Aos Veneráveis Irmãos, Patriarcas, Primazes, Arcebispos, Bispos e Demais Ordinários.
Em Paz e Comunhão com a Sé Apostólica sobre o Comunismo Ateu. Vaticano.

Quérrete, L. (2006). Onde o céu se encontra com a terra: um estudo antropológico do Santuário Nossa Senhora da Graça na Aldeia Guarda, em Cimbres (Pesqueira-PE). Dissertação para obtenção do grau de mestre em Antropologia. Recife: UFPE.

Rampinelli, W. (2012). O uso das “Aparições de Fátima” na manutenção do imperial colonial lusitano. Revista Esboços. 19 (27), pp. 273-288.

Reis, B. (2001). Fátima e a recepção nos diários católicos (1917-1930). Análise Social. 36, pp. 249-299.

Samara, M. (2010). As Repúblicas da República: História, Cultura Política e Republicanismo. Lisboa: UNL.

Santos, L. (2007). Memórias da Irmã Lúcia I. Fátima, Portugal: Secretariado dos Pastorinhos.

Santos, M. (2015). “O Prefácio dos Tempos”: caminhos da romaria do Senhor dos Passos em Sergipe (séculos XIX e XX). Tese para obtenção do grau de doutor em História. Niterói: UFF.

Silva, A. (1931). Carta Pastoral da Província Eclesiástica da Bahia. Salvador: Tipografia Nova Era.

Silva, R. (2016). “Eu sou a Graça”: as aparições de Nossa Senhora das Graças em Pernambuco. Campinas: Ecclesiae.

Silva, V. (2003). Nossa Senhora das Graças da Vila de Cimbres. In: STEIL, Carlos Alberto; MARIZ, Cecília Loreto; REESINK, Mísia Lins (Orgs). Maria entre os vivos: reflexões teóricas e etnografias sobre aparições marianas no Brasil. Porto Alegre: UFRGS, pp. 69-88.

Stone, L. (2011). Prosopografia. Revista Sociologia Política. Vol. 19, n. 39, pp. 115-137.

Zanon, D. (2005). Nossa Senhora de todos os nomes: orações e história de 260 títulos marianos. São Paulo: Paulus.